A pessoa com doença hemato-oncológica: que modelo de cuidados de enfermagem

Autores

  • Eunice Sá Escola Superior de Enfermagem, Lisboa
  • Rosa Romão Centro Hospitalar Lisboa Central, Lisboa

Palavras-chave:

Hemato-oncologia, perceção enfermeiros, ambiente prática profissional, cuidados individualizados

Resumo

A pessoa com doença hemato-oncológica tem de lidar com todas as particularidades exigidas pela doença e pelo tratamento, nas diferentes dimensões da sua vida. O grupo Hemato-oncológico da Associação de Enfermagem Oncológica Portuguesa, sensível a esta problemática, propôs-se desenvolver um estudo multicêntrico a nível nacional, que permitisse descrever as perceções dos enfermeiros que exercem funções em hemato-oncologia (internamento, hospital de dia e transplantes) sobre cuidados de enfermagem individualizados: comparar as perceções dos enfermeiros que exercem funções nas diferentes unidades de hemato-oncologia sobre cuidados de enfermagem individualizados e conhecer os fatores do ambiente da prática profissional destes enfermeiros.

Foi implementado um estudo no ano de 2012, com desenho descritivo/comparativo, com os enfermeiros que trabalham na área Hemato-oncológica (internamento, hospital de dia e transplantes) em Portugal e cumpridos todos os procedimentos éticos. Obtiveram-se 165 respostas, de enfermeiros de cinco diferentes instituições hospitalares.

Verificamos que os enfermeiros dirigem os seus cuidados para a individualidade das pessoas doentes, têm essa perceçao, sendo que entre as instituições de saúde, apesar das diferenças encontradas, os valores mais baixos são na sub-escala Situação de Vida Pessoal, seguido de Autonomia/Controlo da Decisão sobre os Cuidados e os mais elevados na Situação Clínica do Doente.
Globalmente encontramos valores mais baixos na avaliação do ambiente da prática profissional. As sub-escalas Trabalho de Equipa e Gestão de Conflitos apresentaram valores mais baixos e Motivação Interna Profissional e Liderança e Autonomia na Prática Clínica os mais elevados, com diferenças entre os diferentes contextos de cuidados de enfermagem à pessoa com doença hemato-oncológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Craig, P. et al. (2008). Developing and evaluating complex interventions: the new Medical Research Council guidance. BMJ, 337, a1655.

Charalambous, A., et al. (2010). Individualised care and the professional practice environment: nurses’ perceptions. International Nursing Review, 57(4), 500-7.

Cohen-Mansfield, J.; Parpura-Gill, A.(2008). Practice style in the nursing home: dimensions for assessment and quality improvement. Interna

Hickman, J.S. (2000). E, Rosemary Rizzo Parse. In George, Julia B.(2000). Teorias de enfermagem: os fundamentos à prática profissional. Porto Alegre, SP, Brasil. Artes Médica. p. 267-81.

McCormack, B.; McCance, T.V. (2006). The person centred nursing conceptual framework. Journal of Advanced Nursing, 56(5), 472-9.

Mrayyan, M.T. (2006). A unit-based protocol to enhance Jordanian nurses’ autonomous decision making. Journal of Nursing Management, 14(5), 391-6.

Ordem dos Enfermeiros (OE). (2001a). Padrões de qualidade dos cuidados de enfermagem: enquadramento conceptual: enunciados descritivos. Lisboa, Ordem dos Enfermeiros, Conselho de Enfermagem, p11.

Raftery, J.P., et al .(2005). Cost effectiveness of nurse led secondary prevention clinics for coronary heart disease in primary care: follow up of a randomised controlled trial. British Medical Journal, 330(7493), 707.

REPE: Regulamento do Exercício da Prática de Enfermagem. Decreto-Lei n.º 161/96. D.R. n.º 205, Série I (4 de Setembro), 2959-2962, alterado pelo Decreto-Lei n.º 104/98, D.R. n.º 93, Série I-A (21 de Abril), 1739-1757.

Slater, P.; McCormack, B.; Bunting, B. (2009). The development and pilot testing of an instrument to measure nurses`working environment: the nursing context index. Worldviews on Evidence-Based Nursing, 6(3), 173-82.

Suhonen R.; Välimäki M.; Leino-Kilpi H. (2005). Individualized care, quality of life and satisfaction with nursing care. Journal of Advanced Nursing 50(3), 283-92.

Suhonen, R.; Schmidt, L.A.; Radwin, L. (2007). Measuring individualized nursing care: assessment of reliability and validity of three scales. Journal of Advanced Nursing 59(1), 77-85.

Suhonen R.; Välimäki M.; Leino-Kilpi H. (2008). A review of outcomes of individualised nursing interventions on adult patients. Journal of Advanced Nursing 17(7), 843-60.

Suhonen R., et al. (2011). Nurses’ perceptions of individualized care: an international comparison. Journal of Advanced Nursing, 67(9), 1895-907.

Downloads

Publicado

10-09-2015

Como Citar

1.
Sá E, Romão R. A pessoa com doença hemato-oncológica: que modelo de cuidados de enfermagem. journal [Internet]. 10 de Setembro de 2015 [citado 28 de Maio de 2024];(28):20-8. Disponível em: https://onco.news/index.php/journal/article/view/128

Edição

Secção

Artigos de Investigação