Cuidados ao doente em fim de vida no serviço de urgência – uma necessidade em evolução

Autores

  • Ana Pedreirinho Hospital do Espírito Santo Évora-EPE, Évora
  • Hélder Godinho Hospital do Espírito Santo Évora-EPE, Évora
  • Paula Correia Hospital do Espírito Santo Évora-EPE, Évora
  • Ana Fonseca Escola Superior de Enfermagem São João de Deus, Évora
  • Cristina Crilo Hospital do Espirito Santo Évora-EPE, Évora
  • Luís Rosa Hospital do Espirito Santo Évora-EPE, Évora
  • Sandra Santos Hospital do Espirito Santo Évora-EPE, Évora

Palavras-chave:

Cuidados Paliativos, Serviço de Urgência, Enfermagem, Fim de Vida, Dificuldades

Resumo

O recurso ao Serviço de Urgência por parte dos doentes em fim de vida é frequente sobretudo quando existem sintomas descontrolados. A abordagem paliativa necessária nesta fase colide com o contexto “urgência” e limita a intervenção do enfermeiro. Nesta revisão integrativa da literatura pretendemos identificar as dificuldades dos enfermeiros na prestação de cuidados aos doentes em fim de vida no serviço de urgência, assim como caracterizar a natureza dos cuidados prestados neste contexto. Para responder a esta problemática foram incluídos artigos, pesquisados em bases de dados eletrónicas, onde 6 cumpriram os critérios de inclusão, com anos de publicação compreendidos entre 2009 e 2015.

As principais conclusões obtidas através da realização deste estudo revelam que existe necessidade de melhorias e muito esforço e dedicação por parte dos profissionais que trabalham no Serviço de Urgência, sobretudo os enfermeiros, pois este tipo de doentes necessita de cuidados centrados no alívio dos sintomas descontrolados e na promoção do conforto. Não só o doente em fim de vida necessita de cuidados de enfermagem, como os seus familiares estão igualmente fragilizados e a necessitar de
cuidados prestados por toda a equipa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Hennezel M. (2002). Acompanhar os últimos instantes da vida. Comunicação no simpósio de enfermagem “ A pessoa em risco de vida”.

Aula Magna Universidade de Lisboa. 24 e 25 de março.

Diário da República — Série - B N.º 55 — Despacho Normativo n.º11/2002 – Serviço de Urgência. 6 Março, p1865-1866.

Sheehy, S. (2001). Enfermagem de Urgência: Da teoria à prática. Loures.

Moritz, R., Deicas, A., Rossini, J., Silva, N., Lago, P. & Machado, F. (2010). Perceção dos Profissionais sobre o Tratamento no Fim da Vida,

nas Unidades de Terapia Intensiva da Argentina, Brasil e Uruguai. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, 22 (2), 125-132.

Martins, M.; Agnés, P.; Sapeta, P. (2012). Fim de vida no serviço de urgência: dificuldades e intervenções dos enfermeiros na prestação de

cuidados. Castelo Branco: IPCB.ESALD. 28 p.

Veiga, A, A, B. et al. (2009). Pessoa em fase final de vida: que intervenções terapêuticas de enfermagem no serviço de urgência? Revista Referência, II Série, n.º10, Julho, p 47-56.

Norton, C. K. (2011). Palliative and End-of-Life Care in the Emergency Department: Guidelines for Nurses. Journal of Emergency Nursing,

Volume 37, Issue 3, May. doi: 10.1016/j.jen.2010.02.19.

Sapeta, P. (2011). Cuidar em fim de vida: O processo de interação enfermeiro-doente. Loures: Lusociência. 305 p. ISBN: 978-972-8930-69-1.

Programa Nacional dos Cuidados Paliativos. Portal da Saúde. Consultado em Maio, 2015 em

http://www.portaldasaude.pt/NR/rdonlyres/0C255EF1-E3AB-46CF-B79C-E9A210F60F6D/0/ProgramaNacionalCuidadosPaliativos.pdf.

Twycross, R. (2003). Cuidados Paliativos. 2ª Edição. Lisboa: Climepsi Editores. ISBN: 972-796-093-6.

ANCP- Academia Nacional de Cuidados Paliativos (2009). Manual de Cuidados Paliativos. 1ª Edição. Rio de Janeiro: Diagraphic Editora.

ISBN: 978-85-89718-27-1;

DGS – Programa Nacional de Cuidados Paliativos (2005). Lisboa: DGS. 20 p. ISBN: 972-675-124-1;

Henriques, C. Olivira, N. (2010). Cuidados Paliativos: Situação Nacional. Revista Nursing. n.º 266;

Mendes KDS., Silveira RCCP., Galvão CM. (2008). Revisão Integrativa: Método de pesquisa para a incorporação de evidências na Saúde e

na Enfermagem. Texto Contexto Enferm, Florianópolis. Out/Dez; 17(4):758-64

Bailey, C, J. et al. (2011). Trajectories of End-of -Life care in the Emergency Department. Annals of Emergency Medicine, Vol. 57, p 362-

Bailey, C. J. et al. (2011) Dying cases in the emergency places: Caring for the dying in emergency departments. Social Science e Medicine, 73,

p 1371-1377.

Beckstrand, R. L et al (2012). Emergency nurses’ perception of department design as an obstacle to providing end-of-life care. Journal of Emergency Nursing, volume 38, issue 5, September, p e27-e32.

Bailey, C. J. et al (2011). Professional tears: developing emotional intelligence around death and dying in emergency work. Journal of

Clinical Nursing, 20, p 3364-3372.

Downloads

Publicado

03-07-2015

Como Citar

1.
Pedreirinho A, Godinho H, Correia P, Fonseca A, Crilo C, Rosa L, Santos S. Cuidados ao doente em fim de vida no serviço de urgência – uma necessidade em evolução. journal [Internet]. 3 de Julho de 2015 [citado 12 de Abril de 2024];(30):16-23. Disponível em: https://onco.news/index.php/journal/article/view/124

Edição

Secção

Artigos de Revisão