Complicações associadas a biópsias transtorácicas

Autores

  • Ana Costa Instituto Português de Oncologia do Porto, Porto
  • Cristina Craveiro Instituto Português de Oncologia do Porto, Porto
  • Elisabete Sousa Instituto Português de Oncologia do Porto FG, EPE, Porto

Palavras-chave:

Biópsia, Complicações, Pulmonares

Resumo

A Biópsia Transtorácica é um exame complementar de diagnóstico, usado para diagnosticar lesões pulmonares, pleurais e mediastínicas. Este procedimento, realizado através de punção com apoio intermitente de imagens axiais, ou com Fluro-TC, em que o controlo da posição de agulha é feito em tempo real, segundo um método minimamente invasivo, pode ser realizado em ambulatório.
O tipo e tamanho da agulha a selecionar é feito consoante o tipo de biópsia a realizar (citologia ou histologia). Este meio de diagnóstico pode ser influenciado por fatores inerentes ao doente, experiência do médico executor, tipo de agulha, etc. O objetivo deste projeto é a análise das complicações das biópsias transtorácicas em doentes inscritos no Instituto Português de Oncologia do Porto e que irão ser submetidos a este procedimento, com vista a esclarecer e estabelecer a realidade do Serviço de Radiologia de Intervenção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Bray F, Tycynskl JE, Parkin DM. Going up or coming down? The changing phases of lung cancer epidemic from 1967 to 1999 in the 15 European Union Countries. European Journal of Cancer 2004;40-96.

Carvalho S, Carvalho G. Educação para a Saúde: Conceitos, Práticas e Necessidades de Formação: Um Estudo sobre as Práticas de Educação para a Saúde dos Enfermeiros. Loures: Lusociência, 2006.

Direção-Geral da Saúde - Realização de Biópsias Percutâneas Guiadas. Lisboa: DGS, 2011.

Figueiredo JL, Alencar H, Weissleder R, Mahmood U. Near infrared thoracoscopy of tumoral protease activity for improved detection of peripheral lung cancer. International Journal of Cancer 2006; 118(11):2672-2677.

Fortin MF. Fundamentos e Etapas do Processo de Investigação. Loures: Lusodidacta, 2009.

Goldbeck L, Fidika A, Herle M, Quittner AL. Psychological interventions for individuals with cystic fibrosis and their families. The Cochrane Library, 2014.

Gouveia J. Coordenação Nacional Doenças Oncológicas – 2º Congresso Nacional Cancro Pulmão: Porto 2006.

Janssen-Heijnem ML, Coebergh JW. The changinh epidemiology of lung câncer in Europe. Lung Cancer 2003; 41:245-258.

Jemal A, Thun MJ, Ries LA, Howe HL, Weir HK, et al. Annual report to the nation on the status of cancer, 1975–2005, featuring trends in lung cancer, tobacco use, and tobacco control. Journal of the National Cancer Institute 2008;100(23):1672-1694.

Meleis A. Middle-Range and Situation-Specific Theories in Nursing Research and Practice. Springer Publishing Company, 2010.

Pardal L, Lopes ES. Métodos e Técnicas de Investigação Social. Porto: Areal Editores, 1995.

Parkin DM, Bray F, Ferlay F, Pisain P. Global Cancer Statistics, 2002. CA: A Cancer Journal for Clinicians 2005;55:74-108.

Regulamento (UE) 2016/679 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 27 de abril de 2016 – Regulamento Geral de Proteção de Dados, que entrou em vigor em 25 de maio de 2018.

Downloads

Publicado

10-12-2020

Como Citar

1.
Costa A, Craveiro C, Sousa E. Complicações associadas a biópsias transtorácicas. journal [Internet]. 10 de Dezembro de 2020 [citado 17 de Julho de 2024];(41):42-4. Disponível em: https://onco.news/index.php/journal/article/view/27